sábado, 6 de dezembro de 2008

CRIANÇA NO AUTO DO ARMÁRIO (João Paulo Feliciano Magalhães


Como posso me atirar

Do auto do morro de meu teatro

Se já não sei

Se há mar no pé do aquário?

 

Silêncio imediato!

Um comentário: