terça-feira, 21 de outubro de 2008

TRANSFIGURAÇÃO DA RESPLANDECÊNCIA (João Paulo Feliciano Magalhães)


Laços luminosos que perpassam o tempo

E com tal luz e vento

Toca o Mar de Estrelas e o Mundo Divino deseclipisados.

Engendrados pela Tua mão boreal.

 

E teu olhar, de minguante a cheio

Enche mentes e ethos

Corpos e corações

Com teu pó estrelar.

 

Teus pés forjam o solo

No mais nobre ouro celeste,

Singelo e cintilante...

Que num instante

Resplandece céus, sal e solo

Com passos seguros.

 

Vestistes com a Via Láctea...

Tens o universo movimentado

Pelo teu sopro...

E com a sibilância de teu sorriso

Sussurra luz

Lumine!... Lumine!...

Um comentário:

Ricardo disse...

Cara!!!!
Você está arrebentando tudo ai!!!!!!!!!!!!!!!